Tem um peso

Que frequenta meus ombros

Ele arde quando pousa

E faz suar

Se me deito, ele toma

Conta em mim

Se insisto em resistir, me faz pingar

Sente o peso

Ele frequenta meus ombros

Quando arde, não tem como desviar

A frequência não, não sou eu que comando

Não me resta o que fazer; é me entregar

Não, eu não sei o que estou fazendo

Mas eu penso em fugir de qualquer jeito

Ou o melhor jeito é viver acostumado

Com essa vida que não tem explicação

Eu já não sei

O que estou fazendo?

Mas eu penso em fugir de qualquer jeito

E o melhor jeito é viver atropelado

Por essa vida que não tem mais solução

Sente o peso

Esse que tá no meu ombro

Tá queimando, não tem como recuar

A frequência não, não sou eu que comando

Não me resta o que fazer é relaxar

Eu já não sei

O que estou fazendo?

Mas eu penso em fugir de qualquer jeito

E o melhor jeito é viver atropelado

Por essa vida que não tem mais solução

Dá-me uma saída

Dá-me uma loucura

Dá-me um remédio

Não me de a solução

Yo no se o que estoy haciendo

Pero pienso em fugir de qualquer jeito

You May Also Like